CVV recebeu mais de 500 ligações neste primeiro trimestre.

Política

O serviço de apoio emocional é uma ferramenta para quem precisa desabafar e principalmente para quem neste momento precisa manter o isolamento social

Não é só o corpo que sofre com as sequelas do novo coronavírus, pois a procura por atendimento profissional para tratar de transtornos mentais – ansiedade, depressão e estresse pós-traumático, por exemplo – também cresceu com a pandemia, segundo pesquisa do Ministério da Saúde.

A pesquisa se reflete em Roraima e dados do Centro de Valorização da Vida (CVV) mostram que neste primeiro trimestre a instituição recebeu 558 ligações. O CVV foi instalado em Roraima em 2016 e atua em parceria com a Assembleia Legislativa por meio do Chame (Centro Humanitário de Apoio à Mulher).

O Centro é uma associação civil sem fins lucrativos, na qual um grupo de voluntários presta serviço gratuito de apoio emocional e de prevenção ao suicídio, por meio do número 188. O atendimento pelo telefone funciona 24 horas por dia.

A coordenadora do CVV-RR, Elizabete Brito, informou que o serviço é sigiloso e que quem liga, além de encontrar um atendente treinado, também encontra privacidade e empatia.

O serviço prestado pelo CVV é importante porque muitas vezes, antes do adoecimento mental e do diagnóstico qualificado, as pessoas sofrem caladas por causa do estigma social em torno dessas doenças. Isto porque as pessoas geralmente as associam, erroneamente, à fraqueza moral, religiosa ou mesmo à preguiça.

“Encontrar, portanto, um espaço seguro para compartilhar suas dores sem julgamentos, é uma ferramenta relevante para atravessar esse período difícil”, explicou Elizabete. Para atuar na instituição, os voluntários passam por um curso de formação.

“Os atendentes são pessoas preparadas para ouvir o seu desabafo, para dar apoio emocional. Significa que vão te ouvir sem te julgar, sem condenar sua história. É ter empatia com tudo aquilo que a outra pessoa trouxer. Além de contar com o principal, que é a ligação ser totalmente sigilosa”, reforçou.

Elizabete fez questão de esclarecer que o CVV não substitui o diagnóstico clínico das doenças mentais, visto que a instituição disponibiliza apenas um canal para aqueles que precisam desaguar os conflitos emocionais.

“Se é depressão, síndrome do pânico, tem que procurar um especialista. O CVV é para dar apoio no momento de angústia, principalmente na pandemia, onde as pessoas precisam ficar em casa”, enfatizou.

A coordenadora falou sobre a importância do serviço para os idosos. “Os idosos não têm com quem conversar, e o CVV registrou o aumento deste público no número de ligações, pois muita gente começou a procurar pra desabafar, para conversar”, disse.

Contato

Para contatar o serviço de apoio emocional oferecido pelo CVV (Centro de Valorização da Vida), basta telefonar para o número 188 (disponível 24h e sem custo de ligação). Se preferir, pode ainda acessar por meio do site www.cvv.org.br

CVV | Centro de Valorização da VidaO CVV realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo de forma voluntária todas as pessoas que querem conversar por telefone, email, chat e voip.www.cvv.org.br

, serviço via chat e e-mail.

Texto: Suellen Gurgel

Foto: Eduardo Andrade

SupCom ALE-RR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *