TRANSPARÊNCIA – Assembleia Legislativa firma acordo de cooperação com câmaras municipais

Política

Assembleia Legislativa firma acordo de cooperação com câmaras municipais

Serão cedidos móveis, painéis e apoio na implantação de sistema eletrônico de votação 

A Assembleia Legislativa firmou acordo de cooperação técnica com as câmaras municipais de Roraima nesta segunda-feira (28) para fomentar a reestruturação e informatização do Legislativo. 

Serão doados móveis para uso em plenário, painel eletrônico, mesa para votação eletrônica e haverá ainda apoio do Legislativo Estadual na implantação do Sistema de Deliberação Remota utilizado na tramitação de projetos na Assembleia Legislativa. O compromisso foi firmado com os vereadores em setembro de 2021 pelo presidente Soldado Sampaio (Republicanos). 

“Estamos fornecendo estrutura, capacitação, informatização e modernização, levando nosso sistema de tramitação para as câmaras e dar mais transparência nas proposições que tramitam nos municípios”, explicou Sampaio ao ressaltar elas serão padronizadas e tornarão o processo legislativo mais transparente aos munícipes. 

A presidente do CAM (Centro de Apoio aos Municípios), deputada Aurelina Medeiros (Podemos), reforçou a disponibilidade da Assembleia em atender vereadores e prefeitos. “Nós temos uma equipe técnica capacitada e disponível para receber as demandas de cada município”. 

Participaram do encontro o deputado Marcelo Cabral (sem partido), presidentes e representantes das câmaras de Amajari, Bonfim, Cantá, Caracaraí, Iracema, Mucajaí, Pacaraima, Rorainópolis, São Luiz e Uiramutã. 

De acordo com o superintendente geral da Assembleia Legislativa, Nonato Mesquita, tão logo o acordo seja assinado as câmaras receberão o material. “Soldado Sampaio presenciou as dificuldades pelas quais as câmaras estão passando, umas sem condições de funcionamento e outras nem sede própria têm, e se sensibilizou”, frisou. 

O presidente da Câmara Municipal de Iracema, vereador Kiko Melo (MDB), disse que a tramitação das matérias legislativas ocorre de forma tradicional. “A votação é escrita ou é nominal, não é nada eletrônico ainda”. Ele acredita que a modernização aproximará ainda mais a população dos trabalhos dos vereadores. 

Texto: Yasmin Guedes

Foto: Nonato Sousa 

SupCom ALERR 

Deixe um comentário